parallax background

COMO PODEM AS EMPRESAS RESPONDER À CRISE COVID 19

Março, 2020

Neste momento, as pessoas não sabem como reagir

É provável que a vida tal como a conhecemos, dentro de alguns meses, volte à normalidade. No entanto, esta mudança de hábitos significa necessidades diferentes e comportamentos diferentes por parte dos consumidores. Como podem as marcas e empresas ajustarem-se e conectarem-se aos consumidores neste momento de incerteza?

Diante da Crise, qualquer oportunidade é o começo para sair dela.

Helgir Girodo

Como estão os consumidores a mudar o seu comportamento?

Nesta fase, num tentativa dos governos em conter o vírus, principalmente para desacelerar o surto, foram tomadas algumas medidas:

  1. Quarentena
  2. Auto Isolamento
  3. Encerramento
  4. Espaços públicos fechados

As pessoas estão a usar o seu tempo de maneira diferente

As pessoas estão a passar mais tempo com a família e consigo próprios, conduzindo, inevitavelmente, a consequências bem-vindas e indesejadas:

  1. Mais tempo com a família
  2. Mais tempo para si próprio
  3. Mas também, stress, ansiedade e sensação de isolamento

Isto terá impacto direto no consumidor!

Muitas áreas irão sofrer severas consequências:

  1. Comércio a retalho
  2. Bebidas alcoólicas
  3. Pontos de lazer
  4. Viagens de turismo
  5. Itens caros (carros, artigos de luxo)
  6. Tecnologia de consumidor
  7. Etc.

76% dos consumidores estão a sair menos de casa

Os consumidores chineses compraram mais cuidados médicos, alimentos e bebidas, serviços online e menos roupas e produtos de beleza. De facto, ficar em casa tornou-se, para a maioria das pessoas, a normalidade.

  1. Comércio a retalho
  2. Bebidas alcoólicas
  3. Pontos de lazer
  4. Viagens de turismo
  5. Itens caros (carros, artigos de luxo)
  6. Tecnologia de consumidor
  7. Outros

As pessoas estão a recorrer mais aos serviços de entrega

Meituan, uma das maiores entregas de comida empresas na China, está a receber agora quatro vezes mais pedidos do que relativamente ao mesmo período do ano passado. E embora as entregas de comida são feitas, geralmente, a pessoas que comem sozinhas, a empresa registou um enorme aumento de pedidos para mais do que uma pessoa (Fonte: Business Insider).

Os hábitos estão a mudar

As pessoas estão fazer mais uma série de outras atividades:

  1. Observando TV ou Internet
  2. Fazendo exercício físico
  3. Limpando a casa
  4. Cozinhando
  5. Etc..

Novos estímulos

A intenção de compra de carro aumentou 72% entre os consumidores chineses que atualmente não têm carro, devido à falta de confiança nos transportes públicos.

Aumentou o interesse em fazer escolhas sustentáveis. Agora, na China, as pessoas procuram agora produtos orgânicos e preocupam-se mais com a poluição e a natureza.

Como devem as marcas responder?

Brands are nervous about appearing to profit from this crisis. The conversation is being had in many client and agency organizations, but they have to be absolutely sure they are helping people not just making money from it, or being seen to make money from it.

Owen Lee, chief creative officer of FCB Inferno (The Drum)

Mas o que podem as marcas / empresas fazer?

Devem evitar serem vistas como oportunistas

A loja virtual holandesa de venda de eletrodomésticos Coolblue suspendeu todo o seu marketing digital e aumentou os preços de venda ao público pois como antecipação a problemas no fornecimento. Há saber o que é e como fazer bom Marketing Digital para não ser prejudicado.

Devem dar conforto

"Toda a jornada em pausa acabará por recomeçar. Louis Vuitton espera que você e seus entes queridos fiquem saudáveis e em segurança" (Luois Vuitton)

Devem demonstrar ações de bondade

A Lush está convidar todos entrar na sua loja para lavar as mãos. Embora isso possa, por outro lado, provocar um aglomerado de pessoas :)

Muitas companhias aéreas, incluindo a Virgin Atlantic, British Airways e KLM-Air França, estão a permitir a re-marcação dos voos

Depois dos fornecedores terem aumentaram os preços de máscaras e desinfetantes 2000%, a Amazon está agora tomar medidas para garantir que ninguém se aproveita da situação

Ultrapassar a crise com estilo

Pensar na Solução Virtual

As pessoas estão fazer mais uma série de outras atividades:

  1. O Google cancelou a parte física do Cloud Next'20. É a maior conferência anual com mais de 30k participantes. Será agora realizada virtualmente.
  2. Na China, as marcas estão a vendar online. Todos estão preocupados e não participam em showrooms de forma a parar a propagação do coronavírus. Na Webfarus, fazemos lojas online eficazes! Visite, sem compromisso, a nossa Loja Virtual de Exposição
  3. Muitos museus e galerias de arte estão criando exposições em realidade virtual, para que as pessoas possam apreciar a arte sem ter que sair de casa.

Inspirar as pessoas sobre como gastar o seu tempo

Um canal de TV sensibiliza as pessoas a ficar em casa para evitar o vírus e estimula a ver os seus conteúdos

O Alibaba está a organizar "nomeeting concerts", onde cantores e bandas podem transmitir as suas sessões.

A marca Peloton de equipamentos e serviços de fitness doméstico, está a sentir um crescimento de procura pelo incentivo ao exercício em casa.

Rir é o melhor remédio

Mas até onde podem ir as marcas?

Não há problema quando são os consumidores a usar a comédia e a ironia mas as marcas devem ter cuidado para não ofender ninguém.

Continuar a investir

As marcas podem crescer mesmo em tempos difíceis? Sim! Veja-se, por exemplo, algumas marcas que se saíram bem na grande recessão de 2008:

Principais conclusões

O Corona Virus irá ter um impacto nos comportamentos, tanto a curto como a longo prazo.

As marcas devem ajustar-se e apresentar soluções para ajudar lidar com esta situação.

A Webfarus pode ajudar os seus clientes a ultrapassar estes tempos mais dificeis.

A Webfarus pode ajudar

Podemos, de facto, ajuda-lo a ultrapassar estes tempos mais difíceis.

Ganhe Clientes Online! Deixe os seus dados, nós entraremos em contacto de seguida:


Fale connosco whatsapp